domingo, 8 de fevereiro de 2009

Enamorado...


Como é bom sentir que se ama!!! Que se é correspondido!!! Torna a vida leve, as contrariedades parecem menores, tudo o que fazemos fica impregnado de uma motivação especial.
O apaixonado se consome com uma ardência descontrolada, envolto em uma ansiedade que por vezes distorce a realidade. A paixão é como fogo de palha. Hoje é capaz de mover montanhas, amanhã se esfria sem motivo.
O enamorado mantém o emotivo mais estável. Os efeitos são semelhantes ao do apaixonado, porém com perfeita lucidez e domínio de si. Sua chama tenra e estável aquece interminavelmente a relação a dois.


A convivência faz surgir um forte sentimento de solidariedade ao outro, que cresce com o passar dos anos. Este sentimento se fundamenta nos valores que se construíram a dois. O "sentir-se solidário" é fruto da inteligência, pois busca suas razões no passado distante e em seus frutos, quais sejam, os valores que compartilham, defendem e preservam.


O enamorado, por outro lado, vive da satisfação do momento presente ou da recordação do passado recente. Por este motivo sofre forte influência da superfície, da brisa e das circunstâncias


Amar é "querer" manter-se enamorado... é se esforçar, ser criativo, buscar motivos. Também fundamenta suas razões nos valores que se construíram a dois. O amor requer, portanto, maior densidade de cada cônjuge no esforço de re-alimentar a memória recente com bons momentos a dois.


Sem comentários:

Enviar um comentário